face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Pierrot e Arlequim

Por que Pierrot e não Arlequim?

Colombina...
pobre desgraçada,
trocou um amor por um sorriso na cara,
sorriso idiota, mascarado...
Sorriso que nasceu da cara e incrustado está,
sorriso macabro fez ela me trocar.

E na ingenuidade mergulhei,
me deixei amar,
até mudei meu ar,
não respirava mais sem ser seu ar.

Traiu-me com a felicidade,
felicidade falsa...
não percebes o teatro?
Teatro te cegou...
a tal ponto de viver quem tu não és,
tu não és colombina,
colombina é tinta..
tinta que eu pintei em tua cara pálida.

Pois troque-me
lembrarei de ti
e pra ti sempre terei uma lágrima guardada,
Lágrima pura,
lágrima de amor,
de cristal,
de toda vida que me resta
tudo tu levaste,
me farei novo,
e enfim serei outro.

David Weydson

domingo, 30 de maio de 2010

Mistério

Mistério...
Algo esguio,
tem manto que voa ao vento...
Vive em fendas,
Noites chuvosas,
Noites Londrinas.

E tudo fica turvo,
quase cego,
neblina...
o vento canta entre a alma e o espírito.

E surge um vulto,
olhar fixo...
penetrante,
e tudo é suspensivo,
o passo é impreciso,
os olhos traem.

Fecho-os em sinal de respeito,
respeito ao que aparece às fendas,
ao enigma...
Me torno parte do escuro
E no feixo de luz apareço
e o corpo reage...
Então era você?
Num abraço mortal me absorve...
É assim que meu silêncio,
meu mistério ganha do meu explicito.

David Weydson

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Desprezo

Confesso que essa é uma das máscaras que mais prefiro... mesmo que erroneamente...
Enfim... Estou tentando tira-la da minha vida, ou tentando justifica-la.

Acredito que meu desprezo é espelho maximizado,
espelho moldado e feito no tempo,
que vive ao vento,
relento...

E todo gesto contra ele olhou,
prometeu a si... jurou
Refletiria o que lhe foi mostrado contra seu gosto.
E com Desgosto responderia.

Um espelho nunca pede,
nem sequer mede onde olhar,
olhou? Refletiu?
Pah!

Tapa na cara uns não gostam de levar,
muitos acham que pra quebrar o espelho basta apenas chutar...
força tambem é absorvida...

E ele ri com ironia,
e no fascinio de sua fantasia,
despreza a torto e a direito?

Faz tudo isso para o bem,
pois se olhar além,
quebra inteiro o pobre espelho...
Vive sempre defendendo,
refletindo e cozendo,
sua manta assacina.

David Weydson

Momento de Refrigerio

Como muitos sabem...
eu sou um bom cultivador de máscaras
não me entendo muito bem, confesso que as vezes eu até rio de insanidade...

Agora estou me expondo... Tirando todas máscaras que tenho,
voltando a ser criança
e voltando à pureza.
____________________________________________________

O Cavaleiro

Como cavaleiro que em momento de refrigerio sua armadura tirou,
tirou toda lata...
limpou o sangue...
tirou o olhar que impunha respeito, medo...

De seu cavalo desceu,
brincou nu no lago,
rio sozinho de si mesmo,
até cheirou flores...
Lembrou que já fora criança,
que fazia isso sem olhar de malícia,
que corria ser ter porquê,
sonhava em ser artista.

Mas tudo lhe formou a ser defesa pura,
e defender a ponto de outros lançar na sepultura,
para a defesa do ego,
morte do medo...

Viver pra ele é capaz,
pois momentos de refrigério trás...
ao tirar suas várias caras

E com bravura faz,
o que nem é... aliaz
de forma voraz
correu e se escondeu...
procurando a paz

David Weydson

___________________________________________________

Então.. Como deu pra ver.. kkkkkkkkkkk quando tá tudo muito cheio eu explodo,
e só dá pra fazer poesia.. pq tudo que eu falo é pensamento curto
é simples e está em harmonia

E aqui fica mais um pedaço com nostaugia.
Obrigado por lerem... esse foi mais um dos meus devaneios.