face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Palavras...

As vezes não há palavras...
Elas escondem...
o momento é tão forte,
tão intenso...

Elas tem medo de aparecer,
chocar-se com os olhos,
bocas e ouvidos.

E aí só restam os olhos,
que circulam,
a boca que anseia,
o medo se foi...
O frio na barriga ficou...

As palavras continuam extintas,
agora não ha mais rimas,
só há mordidas,
cantos de boca...
um bobo atoa.

Palavras sabem o tempo de aparecer,
sabem manipular,
se esconder e entalhar humanos.
Palavras são mais que conjuntos de letras,
são temômetros de prantos.
Cantos...
palavras cantam,
e o tempo passa,
palavras ficam e martelam,
minha boca faz o dano...

Palavras...
Fiquei sem outras mais,
palavras são pérolas...
palavra...
Cada uma no singular,
pois cada uma é especial,
ela que me faz...
cada uma é fundamental.


David Weydson

Nenhum comentário:

Postar um comentário