face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sábado, 26 de março de 2011

Pra não deixar de falar

Tudo que escrevo rasgo,
como cópia de escarro fica jogado no papel,
e no outono vejo o marco das folhas caídas,
sofridas pelos anos.

A noite chega cansada,
marcada pela rotina,
e sobre essa latrina de vida eu...
...eu simplesmente vivo.

Sem tino,
sem nada,
vago por essa estrada,
cravejada do brilho das constelações...
E riscada no chão pelas linhas,
que um dia algum artista perdeu o seu freio e a vida.

Marina...
O mar a se enrolar perante as rochas,
e tochas a se acender após o luar,
pesar... nem sei o motivo de certo,
e teto é o que não tenho mais.

Num cisco,
eu vivo a minha memória,
dorida,
lembrando de alguma ferida.
O circo...
do palhaço manco, bêbado e calvo...
O teatro que está em ruínas.


David Weydson


PS: Sem imagem porque as vezes pensamentos são pretos e vazios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário