face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Rotina Envelhecida


Na cama só dorme a esperança, os olhos são fixos no espaço vago entre os corpos deitados no colchão enquanto pensamentos amedrontam as pobres mentes.
De começo ainda reclamava a luz acesa quando queria dormir, agora procura evitar... É questão de tempo para a desligar, aproveito e penso na situação.
Não há mais razão de tudo isso... O tempo do amor foi tomado pelo alcool e pelo cigarro maldito, ditando um vicio preciso para a maldita vida (Ja que nela nada mais tinha tanto brilho).
Era tudo uma cor velha e empoeirada, nada remonta ao belo como as cabanas antigas ou a sépia... Berço de amores de verão... Era tudo mentira de Hollywood.

A cama cada dia era mais fria, morta, inerte e mofada, era deprimente,(Não tanto quanto a depressão de vênus). As parreiras eram mais secas que mármore bruto, eram tristes subindo pela parede como se numa escada.
Os Jantares não tinham mais velas, nem gosto, nem nada. Reinava o silêncio e as garfadas.
Mesmo ato... Levantava, colocava o prato na pia. Lavava as panelas e assistia o seu jornal de cada dia, (Aquela desgraça de vida).

Mesmos móveis, só a poeira a lhes transformar, ela tirava o pó ja desanimada de sua longa estrada. Andar tanto para agora ficar parada, para arrumar a cama desmanchada e se deu o luxo de chorar.

A vida é tão ingrata, veio o pensamento de separação... Vieram os papeis, tudo aceito de ambas as partes e sem saber o porquê chorava sozinha depois.
Talvez fosse o alívio, não conhecia mais o cheiro da liberdade, nem tal ausencia de peso.

Começou a cuidar das flores do jardim, (Jardim tão simplório que faria emocionar a todos). Conversava com suas plantas, e sorria pela manhã.

Agora ela tricotava e criava um gato. Sapeca ele se enrolava entre os novelos e roçava em suas pernas enquanto ela tecia uma mantinha para seu pequeno companheirinho.
Comia feliz agora, fazia bolos e sempre dava um pires de leite para novelo, (Sim, ela conseguiu nomeá-lo). Um pires de leite para o gato, frutas para os passaros e cuidado para suas plantas. Comidas novas em seus armários... ria comendo leite-condensado e comendo salgadinhos com brindes descartáveis.

A vida seguiu e provou...
Sim...
A felicidade ainda existe.


David Weydson

Nenhum comentário:

Postar um comentário