face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

domingo, 9 de outubro de 2011

Sem titulo criativo

Morte...
um tema que escrevo muito e que pouco conheço,
é onde a curva da realidade existe,
onde há buracos de minhoca*
onde as dimensões são seladas...

Uma eterna utopia,
mas onde ela acontece,
muitos sabem muito,
quase todos a temem...
de fato a dor é real quando o corpo é inerte.

Dói aos corpos que não são fixos,
seu pai pode virar um jarro,
e depois de tempos voltar a sua família.

Reencarnação...
engraçado...
sua mãe pode reencarnar num alface,
em uma beterraba,
e a lágrima que uma vez correu dos seus olhos,
pode cair sobre você em alguma curva da vida quando chove.

Quando eu morrer não quero nada com meu corpo...
doem só meus orgãos para aqueles que se agarram com forças a vida,
quem sabe com tal tempo eles possam ver que não há o que temer.

Que seja um eterno sonho consciente,
e brinque feito um demente,
que nunca cesse minha doce insanidade...
E que mesmo assim brinque de ser racional.


David Weydson