face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sábado, 31 de dezembro de 2011

Brotar



Tenho olhos grandes,
uma boca minuscula,
ouvidos atentos.

Sinceramente não entendo os dogmas da sociedade,
melhor seria o pragmatismo,
mais prático e arejado.

Tantos desejos,
tantos atos ordenados,
uma regência da qual não faço questão de estar,
sinceramente...
preferia dela não participar.

Acho inútil...
algo não usual...
mas ainda sim cobrado,
obrigado até.

Festas...
Sim Festas...
Todos gastando,
se atolando em coisas que não podem...
"Parem suas vidas e sintam o calor humano",
o calor da bebida,
a carga dos costumes,
as frases pagãs em coro.

Imagens publicitárias,
felicidade felicidade e mais felicidade...
não passa de ilusão...
se todos vissem que felicidade é passageira,
que o estado natural da carne é o neutro...

Uns choram,
outros lamentam,
uns se divertem,
outros pedem para o dia logo passar...
para o tempo levar logo todo esse manto de hipocrisia...

Ainda sim me inebrio com tempos de paz,
...felicidade forçada,
ela chega a parecer real...

Não amo coletivamente,
amo no singular...
amo o leitor,
o amigo...
o autor.

Desejo o melhor para o "Eu",
sempre desejei...
Que o tempo seja bom para contigo,
que a dor te ensine logo para que cesse,
ou no mínimo venha a brotar,
sua melhor flor,
a que há mais sacrificio no desabrochar,
e que dure mais,
a mais significativa...

Que ela dance no vento e no tempo,


David Weydson

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Doce Singular

Sensação de conforto e paz...
andar pela cidade sozinho,
multidão a passar...
doce solidão.

Vozes apagadas por outras que escolhi,
olhos escondidos ofuscando o dia,
tirando o foco de minha razão.

O vento me trás carícias,
... tão incertas.
O cheiro verde de grama cortada,
e o céu florindo algodão.

Uma nuvem parece uma tartaruga navegando no azul do céu,
outra um avião...
como é doce a solidão *-*


David Weydson

Bolsa de Valores

"Quando o dinheiro te corrompeu,
tuas veias pulsaram petróleo,
seu sorriso de criança foi esmagado,
sua vida foi trocada por ouro."

A sede de querer mais o fez não assumir a ganância,
e as lembranças...
tudo trocado por libras.

Seu orgulho não lhe permite devaneios,
não deu atenção aos filhos,
a mulher o trocou...

E só veio o desgosto,
a sequidão...
como o rei Midas,
tudo duro, frio e seco se tornou.

O pecado te levou,
a cobiça te ceifou,
a morte o embalou,
e ceifou em tua semente discórdia.


David Weydson

Mimado pelo Vento

Diariamente recebia suas carícias,
e se divertia em minha pele.
Era segredo que só o vento sabia,
...sua alma é feita de folhas de outono,
de dunas dançando,
e dias flutuando,
tempo levitando...
... vento soprando
e fazendo do momento total oceano.

Ócio

Corpo ébrio,
aquecido e entediado.
Olho pra pessoas,
escarro...
Não tenho paciencia para elas...

Tudo pelo dinheiro,
comentários alheios,
sorrisos falsos.

Tanto tempo de tortura por plástico e papéis,.
Depois volto para os níqueis...
fica o desdém.

Adquiro conhecimento,
moldo minhas engrenágens,
às limpo e refino,
desprezo...
me faço cego...
para não dar mais do que preciso,
já que não quero...
mas ainda vou.


David Weydson

Segredo Intimo

Não creio que amor seja estado de benção,
ou de graça...
Sei só dos conhecimentos da carne,
do desejo da boca que me priva as palavras,
Da pele que pede o toque e o arrepio.
A boca implora outra sem luxo,
anseia o fluxo do outro alguém.

Paixão é só reação do corpo,
é meio sentimento torto,
mistura de cheiro, suor e gosto.

Amor é uma troca de fluídos,
libído que consome toda pele,
e no rosto o desejo vira feição.

Apreço...
contato e cheiro...
uma neblina sem razão.
Amor virou sinônimo de paixão

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Refeito

Tantos últimos dias ultimamente,
o tempo tende a brincar e me pregar peças,
e nessas voltas da vida a gente vai se perdendo.
Sedento, chega a mais um final...

Recomeço algo velho,
feito por outros e refeito por mim.
Assim tudo é feito,
nada triunfal.
Ouvindo música banal,
implorando "O fortuna"

As pessoas não entendem o estado neutro da feição,
não conhecem o rosto da razão,
por isso se assustam e perguntam o por quê de não sorrir.

... sorrir não é natural...


David Weydson

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Sem Título [?]

A tensão ja passou do limite dos músculos,
(que por sinal estão todos amarrados),
não durmo bem,
quando durmo é pouco,
passo o dia cansado...
sufoco...

Creio que esse seja o peso de mim sem minhas fugas,
de vicios sou feito...
sou mesmo!

Fecho os olhos e outros olhos acendem...
de uma maneira pior que abertos,
quando sonho são pensamentos concretos,
pesadelos e acordo exausto da vida.

Isso não é motivo de escrita,
mas se vivo é porque escrevo,
é um de meus refugios...
fujam desse texto inútil e levem em conta os que prestam,
so precisava falar um pouco...


David Weydson

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

01:52 A.M

Todos Façam silêncio,
ouçam a noite entrando janela adentro...
e se focando bem no centro,
deixando a luz do poste acender parcela da parede.

Os ventos cantam, mas não ouço nada...
a noite está vazia,
nem fria nem escura...

Nublada e avermelhada,
contaminada pela cidade...

E como é de praxe...
deixarei como está