face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sábado, 19 de janeiro de 2013

Prece


















Aquele momento em que você se torna fraco,
e desesperado pensa em procurar conselhos de alguém...
... de qualquer alguém...
pois todas as respostas você já tem,
e só gostaria de ouvir suas vozes em outras bocas...

Umas mais despreparadas que outras,
outras sem muito pensar,
outras ainda comentando a vida como se fosse algo tão simples e dizem:
"Ahh... deixa tudo acontecer, deixa rolar"

A vida não é isso,
minha vida não é isso,
em um monastério onde as paredes tem a elegância do líquen,
e a água corre perto fresca,
várias faces minhas fazem uma reunião de emergência,
e falam tudo que no fundo eu já sabia...

O lago não mexia até um pedra nele jogar,
e agora as ondas o atordoam o fazendo mudar.
Os que estão em prontidão sabem que o certo é esperar,
mas perante o penhasco,
só há o desejo de se jogar.
Sentir o abraço da morte,
e quem sabe com sorte viver depois da morte prevista,
mas tal morte é muito além...

Morte completa assinada e protocolada,
uma requisição formal e bem grafada,
linhas renunciando a pureza e a paz,
procurando somente o tremor, o arrepio e o voraz...

...

Mas antes era sinônimo de paz,
e todas pessoas são minhas pois todas criei,
absorvi porque observei,
e agora tenho que o escuro olhar,
sentir somente o vento e orar...
que tudo leve,
e eu fique sem essa febre,
mas tudo me foi avisado...
e os passos estão bem calculados.

É fato,
a vida ou a morte do ato,
mas as pedras ainda são atiradas quando o lago entra em calmaria,
então faça as preces antes que haja avarias...
pois cada hora é um dia esperado de vitória,
mesmo que a prece seja insana,
muitas vezes alcanço o nirvana,
mas tudo é tão repentino,
e tomo logo o tino,
volta toda prece novamente.
É como uma serpente,
que move o chocalho quando a esqueço,
e enquanto juntamente adormeço,
ela me vigia sem parar,
seus olhos fixos a me encantar,
e pensar em entrar na fresta de sua pupila até o desconhecido chegar...

Há o medo de ser sorvido por si,
seu maior inimigo dentro de mim,
as piores vozes também...

Além de perder os que amo por culpa de mim.

Livrai-me de mim
Amém


David Weydson

Nenhum comentário:

Postar um comentário