face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

domingo, 31 de março de 2013

Cíclico


Você sabia tudo o que era,
agora olha pra essa vastidão e se assusta,
o corpo virou um mundo
onde você vive várias vezes a mesma vida.


Não sabe mais se definir,
encontra tantos rótulos em pessoas,
e você não é nada...
não se encaixa mais em nada,
é só uma vastidão vazia.

Com milhares mas sozinho,
porque todos são eu...
E as paisagens são estranhas,
e no fundo das entranhas...
ele se perdeu.

Uns vivem por sexo,
outros por dinheiro,
procuro viver porque tem que viver,
e não acho razão pra levantar totalmente feliz.

Tenho o básico,
e um pouco além...
tenho coisas que muitos nunca terão,
mas o conhecimento me seca a cada dia...

É belo,
sim... concordo,
mas mesmo assim,
a ignorância não parece de todo ruim.

O significado de tudo é tão lógico que chega a ser vergonhoso,
vivem para amar,
depois vivem por ter que manter o que o amor deu,
logo mais amariam não ter o fruto do amor,
e amam amar outro...
amariam não amar...

E eu sou neutro,
penso com  meus botões,
rio de coisas simples e sou simples,
mas por ser tão sucinto não me encontro,
em nada e nenhum recinto.

Tudo falta parte de mim,
e não me empenho para ser naquilo completo,
sou tudo e repleto,
simples, abstrato e de certo,
a personificação de justo, moral e reto?

Vivendo em meu mundo o que vem de fora não dita as regras.

Anoiteço sem o relógio correr,
grito sem ter que sofrer,
e fico sem ter que parar.

Sentido não há,
em pensamentos soltos e uma vida sem muita definição,
não tem sim e não tem não,
olho pra um tino e continuo seguindo,
doentiamente,
um dia atrás do outro e chorando sentindo saudade do mar,
mas sem nenhuma gota plantar em minha face seca,
pois parcela do mar foi minha...

É tanto a escrever,
é tanto guardado cá dentro,
o peito encolhe,
a garganta amarga,
mas a plateia só grita:
"Engole"

Segue que amanhã é dia de repetir o ciclo,
e seguir o mesmo ritmo das músicas que você odeia,
mas essa sinfonia azeda ainda vai tocar,
até que chegue o futuro de que tanto ouvi falar...
e que depositei a minha fé quase toda,
meio louca já fiquei,
mas já voltei à minha sensatez...

Os filhos que pari mudaram todo meu mundo,
mas bem no fundo...
são todos eu que fiz,
todos ainda estão dentro de mim,
e nos fim eu vou me acabando.

Procurando e procurando,
sentido da vida e da escrita,
mas que se foda a vida,
e vou me fodendo dia a dia mesmo...

Fazer o que?
Coisas da vida...

Nenhum comentário:

Postar um comentário