face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Renascimento do Fingido


Uma nota do autor:
Sinceramente não sei por onde começar... onde olho é só ruína, mas estranhamente tudo isso me cheira casa...
cheira café recém passado,
cheiro de gás antes da ignição,
Meus olhos são outros...

Frios e cansados,
e com a escrita bem feita,
disso me orgulho, mas é sinal de desfeita,
pois falta empenho com outros,
não comigo.

Aprendi e destravei,
provei viver para outros,
não consegui isso manter,
a areia corre por minhas mãos como uma ampulheta que não para.
O tempo corre e tudo escorre,
não retenho nada.

[...]

Sim, isso é apenas um mergulho na alma,
e no meu pierrot que se fez de morto,
maldito fingido!
deveria suspeitar,
se não fosse tão torto desconfiaria,
e quem diria que ele estava à encenar.

Aqui estou eu,
eu e meus olhares,
escolherei a determinação e com ela ficarei,
doses doentias de esforço me aplicarei...
overdose de mim e assim,
quem sabe assim venha me saciar,
e se mesmo todo esforço não adiantar,
descubro um jeito de me vingar,
de mim...

É assim mesmo,
uma guerra de múltiplos reinos,
brigando por terra,
a terra que lhes calça os pés,
a terra que lhes bebe o sangue.


David Weydson

Nenhum comentário:

Postar um comentário