face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Estrela Cadente


 
Ele veio da outra banda do mundo, se é que do mundo ele é habitante, veio distante de uma terra ilusória onde outros o encontram em sonhos e mandam sorrisos por borboletas.
Ele é mulato de cor, tem outro nome e some por vezes sem rumo. Em sumo, ele tem uma certa beleza que o deixa com cara de gente comum.
Sua alma é leve como as serpentes aladas que ele acena e destaca como fazedoras de nuvens, o mundo não sabe, mas nesse impasse de gente ou de Santo, num canto ele explica outra definição, mais perto de anjo e de doce, de como as crianças são.

Mesmo em toda beleza, o mundo se queixa da falta que ele lhe faz, mas de um jeito estranho, meio que sem acreditar na pele, eles o cortam, dissecam e o ferem, pra ver se é mesmo real. Ele tudo sente, mas não entende o motivo do mundo ser assim.
E vê que no começo, no primeiro arremesso essa estaca foi plantada, e sempre copiada, fazendo da terra um plano só de dor.
Sendo tão cando,  e sendo meio anjo, não entende a falta de bondade para alguns. E o mundo tenta o contaminar, mostrando que nem em terra nem em ar, deve haver paz, bondade ou amor.
Aprenderam que tudo é nada, a dor é presumida, e toda essa sina se repete por padrão.
Arrancam-lhes as asas, dizendo-lhe necessário, justificando desespero por amor.
Mas nem tudo é sentido, nem tudo existe e nem tudo tem tino, o mundo é fruto daquilo que disseram ser o mundo.

Ele se apaixonou pelo mundo, e o mundo foi deveras clemente, mas nem sempre o mundo deixa de o maltratar.

Ele é bom, pois acredita que o mundo precisa de bondade, precisa de amor e de caridade, não importando com quem.

Mas sendo ele um vagante, de um mundo distante, nunca vão lhe entender.



Apolo



Nenhum comentário:

Postar um comentário