face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Ao Amor

Os olhos do passado num relampejo voltam,
e o corpo goteja por todos os cantos,
as gotas salgadas escorrem pelo vidro,
o fim dolorido do nosso recanto.

Frágil olhei ao subir a escada,
a cena de guerra,
encontrar a casa toda revirada,
a gente não escolhe onde fixa lar 
e ali fiz minha morada
entre braços quentes e vista dourada.

Depois observar tudo qual papel seco,
subi para o meu aconchego desaguar meu mar reprimido,
tanto sentimento contido larguei esperando a última entrada...

Em tão pouco tempo ensaiei tua chegada,
ansiei seu beijo, abraço e presença marcada,
teu cheiro colado em meu corpo,
teu perfume engolido pela minha camiseta,
eu te amo,
te amei,
não esqueça...

As memórias da nossa pequena mesa,
como eu amo ver você comer feliz,
foi minha primeira impressão,
te nutrir de amor,
alimento e agora solidão...

Tive tanto medo de errar,
que a gente erra mesmo sem querer,
mas o bem que você me faz,
não encontro com ninguém

Palavras jogadas a tantos cantos,
cuido de pessoas perdidas entre conversas sem rumo,
ainda direciono minha vida para você,
ainda vivo você...

Seu cheiro... sentia tanta falta,
seu sorriso e seus lábios macios,
mas vai construir a sua estrada meu pequenininho,
vai fazer tua morada.


David

Nenhum comentário:

Postar um comentário