face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Mármore quente de sol


Construindo o amor chegaste na pré-perfeição,
faltando apenas o fogo dos homens pra tudo aquilo se mover,
meu trabalho, obra prima concluí,
não quero outra peça esculpir.

As ranhuras do mármore desenharam suas veias,
toco suas mãos sinto elas quase quentes,
sua boca e olhos estão ali eternizados,
pra correr nos meus sonhos molhados.

Quando chove tenho certeza que choras,
teu peito eu fiz, sei tudo que tem dentro,
apaixonei-me por meu próprio rebento,
meu homem de marfim.

Meu canto é barulhento,
não quero ouvir tudo que dizem,
sumir fugir,
por um mundo feito nosso.

Correr correr...
até me arder o peito,
cair, sentar
aprendo com minhas feridas

Manca,
anda
mesmo com cãibra,
mesmo que não chegues a lugar nenhum,
o sol ainda brilha,
ainda beija minha face lisa,
me desperta um sorriso,
faço disso perfeição.



David Vilela

Nenhum comentário:

Postar um comentário