face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sábado, 19 de novembro de 2016

Contador de Histórias

Ele deita me olhando ler,
sorri até o olho fechar,
me ouve até escurecer,
e ele comigo sonhar.


David Vilela

Com Amor

Tento pegar em meu jardim de palavras,
as mais bonitas, crescidas e empenhadas para te dar,
para tentar dizer por um curto momento
o tanto que passa aqui pensando em você.

No começo você disse não demonstrar muito,
agora acabou de me chamar de: "coisa mais linda da minha vida",
juntos meu menino...
nós mudamos nossa sina.

As noites hoje são bem em abaladas em amor morno,
que aquece conforme as horas se passam,
envereda em meu corpo espasmos,
anunciando o que crias em mim

Meu corpo enverga,
a boca morde,
mãos ritmadas
num mesmo acorde.

Julgam música dos loucos,
mas nossos tomates crescem melhor com loucura,
imagino você em nossa casa,
minha boca unida à tua.

Jogamos pra eu perder,
me irrita pra me emburrar,
faço bico sem querer,
você vem ele morder,
me fazendo mais te amar.

Nossos corpos cobiçam um o outro,
mas no fim fica o calor daquele momento,
nosso sorriso e nosso beijo,
felicidade e contentamento.

A rotina a nos mostrar diferentes faces,
o carinho sempre presente,
quando eu te amei...
foi de repente...

Termino aqui num sonho compartilhado,
nós dois deitados,
vendo estrelas entrelaçados.


David Vilela

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Amarela Amarela

Hoje vejo que a vida é além,
é muito mais que tanta coisa,
que minha espera pelo ônibus,
que o barulho das rodas passando pelo asfalto molhado,
que não posso me dar ao luxo das lágrimas quando quero,
Não há tempo pro luto,
a cidade é frenética...
Encontros são breves,
beijos velados,
encontros molhados de lembranças,
as lágrimas vêm do céu
abençoadas pelas folhas das árvores,
Que embaçam as lentes de meu óculos,
me calo...
Passos curtos pro lado,
para abrigar os que fogem da chuva,
vivendo me é tolhido sonhos,
Desejos,
Lembranças...

É o fim...
É o fim...

Mas no fim há novos começos,
esqueço porque tenho,
não porque quero,
nem porque devo.

É cedo...
É cedo...

É mais do que a filosofia que leio,
sobram sorrisos que faltam no dia de hoje,
Chove tarde na cidade,
um beijo...
Efêmero...


David Vilela

domingo, 6 de novembro de 2016

Estou com saudade dele,
quando converso parece que vejo seu sorriso,
sinto sua pele,
seus olhos em mim,
o abraço...

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Não tem espaço pra nada nem ninguém,
não sobra nenhuma lacuna sem ser você,
tomou meus espaços,
me realinhou,
refez os meus traços,
me amou.

Da dor escorre
profunda beleza
qual detesto
pinga na mesa

Meus olhos opacos de futuro
só enxergam teu sorriso em tudo.

Garganta amarrada
mentira lavada
sou mais tu do que eu mesmo

Vejo mais seus olhos que os meus,
mais seu desejo me arrepiando a pele,
revele esse filme fechado.

Ainda escorre fresco
ainda guardo meus beijos
prum dia te dar



David Vilela

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Amor Pessimista

Cansei de procurar,
falar...
falar...
invisto em algo e...
sei lá...

Menino que não se doma,
encanto solto distante,
no toque se perde
avante...

Sorriso e gula,
cobiça e beijo,
mas quem eu almejo
galopa longe,
não vejo.

Frio penso,
igual ajo,
uso
vejo um intruso querendo adentrar,
pobre rapaz... não têm as chaves,
se tivesse não saberia-as usar

Engano...
faço pelo mar,
faço por tentar,
Sonha...
sorrio...
a mente não mente,
fracasso latente?!



David Vilela