face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Lampião















Em suas mãos frias traz o lampião,
tenta iluminar os lugares mais escondidos,
sopra delicado a chama pra que cresça,
aquece o lugar quando ele chega.

Procura em molhos de chaves,
a de uma porta,
mas espera quem dentro está,
agora há quem te espera,
quem ilumina seus caminhos e te estende velas.

O mundo nem sempre é o paraíso que deve ser,
por isso aqui estamos,
estendemos a luz
dispersamos as trevas.

Aqui...
está tudo bem,
agora está tudo seguro,
agora está tudo em paz,
e o que aconteceu foi embora,
está longe,
lá trás...

Já passou...
feche os olhos,
deita a cabeça no meu peito rapaz,
já passou...
já passou...

Tenha paz


David Vilela

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Delta do Nilo

Pedra-a-pedra uma civilização foi construída,
arquitetos chamados para alinhar as ruas com o sol,
sementes buscadas dos confins do mundo,
para num mesmo jardim crescer, estar...

Filhos do deserto,
pessoas cansadas,
encontram oásis,
camelos bebem,
compram-se frutos,
vendem-se mercadorias,
no papiro o novo monumento,
no governante expansão do reino.

A nova casa criada,
alimento no delta do nilo,
todos vindo pelas estradas,
todos nutridos.

Tocam em minha visão,
tudo treme como seda ao vento,
a tempestade de areia ameaça,
passar e minha civilização inteira levar,
não sobrar nada,
só lembranças e miragens,
mas lutarei contra ela.

Ganharei


David Vilela

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Leve toque de anil

São tempos onde toda felicidade do mundo está condensado no olhar de duas crianças,
elas brincam nos intervalos,
contam entusiasmadas seus sonhos,
e isso não é nem o começo...

A sintonia faz com que seus corpos rodopiem,
se unam,
tomem forma,
a completude dos seres acontece,
estremece o de olhos maiores,
cora o de braços mais fortes,
o sorriso aparece igual.

É brisa fresca de verão,
sorvete em alta estação,
assento no cheio busão,
entardecer segurando tua mão...

São olhos que sonham sem foco,
lembrando quando se viu refletido nos teus,
o corpo aqui é todo seu,
meus dias de sonhos azuis.

Cachoeira, trilha, morro e campo,
roça, carro, caminhão, num canto,
minha boca teu corpo engole,
tua mão me impulsiona e acolhe.

As vezes imagino como vou aguentar,
tanto sentimento sem conseguir chorar,
de alívio, felicidade ali ao teu lado,
fazendo amor na beira do lago.

Fugido no bar,
perdido no churrasco,
a festa é no banheiro de baixo,
dispensa apertada convida,
teu corpo minha tara
minha sina.

Mão boba e perna por baixo da mesa,
enquanto sorrio dissimulado,
vejo teu jeito louco,
me querendo logo,
apertando teu corpo.

Meu maior sorriso não é segredo,
nossa vida nossos azulejos,
noite findando me dá um beijo,
sem medo...
sem medo...


David Martinez

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Cantiga pra tico dormir

Quando se sentir inseguro estarei ao teu lado,
quando o coração acelerar e medos aparecerem,
mostrarei minha voz mansa e meu sorriso,
não importa o abismo,
eles vencem.

<3