face de david- michelangelo

face de david- michelangelo
A face seca cede à curiosidade que entorpece os sentidos, focando o vívido olhar ao longe até se perder nas brumas de seus pensamentos distantes

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Aguardando a volta

Espero que em suas lacunas você se encontre
e veja minha mão suas costas apoiando
espero que te venham respostas
que unam o quanto antes nossas mãos,
espero que o silêncio te traga sussurros
das preces que faço pra Deus te abençoar,
espero que os xamãs me ajudem
com a cobra e o veado a te curar.
Espero que seu sorriso brote
ao lembrar do meu também,
e que você encontre o que eu já achei,
espero que venha no faro
desejando sentir na fonte o cheiro meu
me tome me abrace porque sou só seu.

É modesto
não tenho muito você sabe,
mas te pago em sorrisos,
te mostro meu nudismo,
pra te encantar.

Minha pele nua chama a tua,
peço à lua pra te abençoar,
que o sol ilumine seus passos,
e a lua beije seu rosto,
porque eu também sou luar...

Que venham os dias de frutas maduras colhidas do pé,
dos beijos,
do sorriso nos dias mornos,
que venha você voltando pra mim...

Que sinta falta
porque eu sinto sua também,
quero logo te medicar...

Te amo,
pra sempre vou te amar


David Vilela

sábado, 22 de julho de 2017

Com você eu descobri o amor em todas as esferas,
tive o contato antes do toque,
a presença...
aprendi a medir felicidade em dúzias e mais dúzias de sorrisos
que você plantava e colhia de mim,
e ao fim do dia me mostrava os exemplos da safra,
com você eu nasci.


David Vilela

Perigeu

Meu corpo sente
responde quente ao desejo do teu.

O ar é morno,
fecho os olhos e escrevo,
sentindo o cheiro morno da terra,
madeira e do verde,
do recém colhido e o perfume que se aproxima,
meu sorriso brota antes de te ver,
sou surpreso por seu sorriso,
me aperta firme e me gira pra um beijo,
sabe bem e me guia ao que almejo,
a mão desliza para tua rigidez,
agora sou seu Martinez...

Reclamo meu prêmio,
abro tua calça num canto,
o cheiro da serragem e da tua pele,
cheiro do teu sexo me impele,
quero foder na pele,
me eleve,
me macere num beijo apoiado,
me deixa molhado enquanto passam trabalham distante,
abafa minha boca e me come com pressa,
tenho suas peças,
senta,
cavalgo,
apoio em suas pernas,
me elevas...

Seguro seu rosto com as duas mãos,
te beijo enquanto você me faz pulsar,
mordo sua boca pra não gemer,
me quer ver tremer,
te olho,
te beijo,
suspiro,
mordo,
aperto,
te trago pra perto,
anuncio que tá perto,
você me espera até meu limite,
até meu corpo encima do seu envergar,
eu pulso e vibro não aguentas e me inundas,
violento meu peito se mexe,
tu sua,
sorrio,
te amo menino,
me suja de serragem,
lambo tua testa e colo serragem também,
te beijo,
respiro,
você todo meu,
eu somente seu sorrindo.

Se todos os dias fossem assim,
mas bom que dias diferentes acontecem,
faltam muitos lugares pra gente
colar as costas,
se apertar
e transar.

Amor nasce no campo
nasce também na cidade
mas floresço contigo,
sou seu menino,
só seu.


David Martinez


quinta-feira, 20 de julho de 2017

Me cala

É um misto sabe?
De tudo que é a vida...
carinho,
cuidado,
a gratidão por estar ao seu lado,
mas as vezes é engraçado,
queria você me tomando pra si,
como digo que já sou
toma minha alma
eleve meu corpo,
me faça vibrar em seu gozo,
viver por mim e por ti,
largue tudo um pouco de lado e me prove
sinta meu gosto
meu arrepio
o toque e tudo que tenho pra te dar...
cale um pouco a mente e me sugue,
corra com o seu corpo o que desejas,
me fode enquanto me beija,
me faça chamar o seu nome,
sinta meu calor...
cala a boca e me ama


David Vilela

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Urbano e Campestre

Ele era construído de milhares de engrenagens,
artefatos minúsculos que movimentavam outros enormes,
ele era disforme,
um caos bem estruturado,
o portão mais trancado,
e todos olhavam aquela imensidão toda sem saber o que fazer,
mas ele sabia,
que a chave que tudo aquilo abria era a mais simples,
a mais modesta,
tímida e marcada da vida,
ela ia entre as engrenagens cromadas,
bem azeitadas mas todas travadas,
devagar ela entrava,
tímida abria,
e agora o mundo inteiro surgia,
pois era só o que lhe faltava,
um menino,
uma estrada,
a paz ali deitada...
dormia.


David Vilela

domingo, 25 de junho de 2017

Ele é um menino que erra,
erra por tanto amar...
e tenta fazer o bem,
errando por tanto tentar.

Só ele conhece o peso de suas escolhas,
mas sorri,
querendo acertar.

Boa sorte menino...

Você precisa ver o mar...
pra se alinhar,
pra tudo acertar.

Menino...

Um dia tudo vai estar do jeito que tem que estar
talvez esse dia seja hoje,
amanhã...
sei lá...

Sorria menino,
menino doce...

A vida vai se ajeitar